fbpx

Experiência Profissional: como passar a impressão certa no currículo

Feito com carinho por:

Vinicius Rodrigues
25 de novembro de 2018

Muitos fatores podem influenciar na hora de montar um currículo, um dos mais importantes é a experiência profissional que você descreve.

Sim, mais do que apenas um tópico dentro da tabela, descrever a sua experiência é uma forma de fazer com que o entrevistador conheça um pouco mais sobre você, sua trajetória profissional e qual é o fit cultural e profissional que você vai ter na empresa.

Se você está assustado com essa parte e não quer dar nenhuma brecha para perder a vaga, fica tranquilo.

Não conhece o LINKEDIN? Mude isso agora mesmo e entre na maior rede de Networking do mundo!

Aprenda o que falar e como agir na hora da sua entrevista de emprego em um post MATADOR, com exemplos. Clique aqui!

Vamos te explicar passo a passo como utilizar o máximo do tópico de experiência profissional passando uma mensagem clara com um potencial grande de contratação.

Além disso, ainda vamos colocar exemplos práticos para que você entenda o que NÃO FAZER e o QUE FAZER na hora de escrever sobre a sua experiência.

Mais fácil que isso, impossível não é!

Então, vem!

Mas, qual o valor da experiência profissional mesmo?

Se você já respondeu essa pergunta dizendo que é apenas um tópico para entupir de projetos que você realizou a resposta está… errada!

Como o currículo é feito de tópicos (informações pessoais, profissionais, experiência profissional, objetivo profissional, etc) é muito fácil escorregar e colocar uma besteira em algum lugar.

experiencia profissional imagem 1

Não sei se você já sabe, mas 80% dos currículos simplesmente não são aproveitados pelos entrevistadores. Sim, apenas 20% são utilizados, o que significa que a cada 10 candidatos só 2 tem a chance de correr realmente a uma entrevista de emprego.

Mas, você não precisa ficar assustado com esse dado. A maioria das vezes os profissionais erram confundindo o que deve ser posto em cada tópico ou deixando em branco informações importantes.

Como é o caso da experiência profissional.

Mas, vamos à definição: a experiência profissional é o tópico onde você desenvolve a sua trajetória profissional, ressaltando todos os dados que façam sentido para que o entrevistador conheça mais sobre a sua vida profissional.

É uma linha cronológica que não engloba todos, mas os mais importantes fatos profissionais que a sua vida teve.

E se eu não tiver nenhuma experiência profissional ainda?

Muitos alunos aqui da Know-how, principalmente os que estão em busca de um estágio, apontam esse problema para nós: o estágio exige experiência, porém eu preciso começar a estagiar para conseguir experiência.

Parece um grande e confuso paradoxo, porém, não precisa se preocupar. Vamos te passar também algumas dicas para que você crie um tópico de experiência profissional caso não tenha muita experiência ainda.

E se o meu emprego anterior não tiver nada a ver com o novo?

Outra dúvida que vemos muito aqui. Tivemos um exemplo de um aluno nosso que fazia faculdade de comunicação social, como foco em publicidade e propaganda.

No meio do curso esse aluno desistiu de trabalhar como redator (o que ele já tinha certa experiência estagiando em uma agência) e se tornar um designer.

experiencia profissional exemplo


Apesar das áreas serem complementares, são áreas diferentes e isso exigiu que ficasse claro no currículo dele essa mudança.

A dica que demos para ele é a mesma que daremos para você, pergunte-se: essa área nova que entrei tem QUALQUER COISA a ver com a minha outra área antiga?

Se a resposta for minimamente sim, então basta você se aplicar para novas vagas, deixando claro que teve experiência previamente em uma área complementar.

No caso do aluno, analisando o currículo dele e recriando passo a passo conseguimos criar uma “vantagem” para essa experiência de redator.

Afinal, a agência que contratasse ele conseguiria um designer que tem um conhecimento legal com redação.

Parece um bom ganho, não é?

Caso as vagas não tenha NADA a ver, então talvez seja o caso de criar um currículo do zero e voltar ao tópico acima, onde você não tem experiência profissional nenhuma e mesmo assim precisa completar o seu currículo.

Vamos explorar melhor esse e outros casos abaixo, continue conosco!

Dicas práticas para criar a minha experiência profissional do zero ou melhorá-la

Antes de entrarmos nesse tópico, é super importante que você dê uma olhada no outro post que nós fizemos sobre a criação de um currículo perfeito.

Nele você vai encontrar outras dicas que são complementares as que estão aqui e vai conseguir potencializar ainda mais as suas chances de conseguir ir a uma entrevista de emprego ou estágio!

Bem, seguindo..

Dica 1 – Não aumente ou minta o que você já fez

Essa dica pode parecer óbvia, mas que atire a primeira pedra quem nunca pensou em aumentar um pouquinho o seu currículo para demonstrar mais aptidão para a vaga.

Independente de você já ter feito ou não, aconselhamos seriamente que não faça isso, e para isso te damos uma história.

Conhecemos uma profissional que foi estagiar em uma área de produção audiovisual. Esse tipo de área exige que você saiba mexer em diversos programas de edição de vídeo.

Imagine só: ela mentiu que conseguia fazer esse tipo de trabalho e não conseguiu passar 1 semana no estágio por não saber NA-DA do que está se propondo a fazer.

O empregador perdeu tempo, o processo seletivo precisou ser refeito e ela se queimou bastante no mercado.

Então, será que isso vale a pena?

O antídoto para não ter experiência profissional é focar nas suas habilidades pessoais que podem se transformar em aliadas para a vaga.

Nunca trabalho em nada na área? Ok, fale sobre outros projetos que você já teve que demonstram experiência e vivência no mercado de trabalho. Exemplifique de uma forma breve o que essas experiências trouxeram para você.

Você aprendeu sobre liderança? Entendeu melhor sobre comprometimento e prazos? Começou a ver o valor no trabalho duro e entrega de resultados?

Esse é o tipo de experiência que o recrutador quer MUITO de seus candidatos. Afinal, habilidades técnicas, podem ser aprendidas se a empresa tiver oportunidade para isso, agora habilidades pessoais, como: caráter, esforço e foco já podem vir prontas.

Dica 2 – Saiba o tipo de comunicação que você deve usar

Supondo que você já tenha uma experiência profissional maior, existe o questionamento: “como passar essa minha experiência para o recrutador de uma forma positiva?”

Você já tentou utilizar a voz ativa na hora de escrever sobre si mesmo?

Não sabe o que é? Ótimo, veja alguns exemplos abaixo.

Suponha que você tenha experiência em projeto de tecnologia industrial, certo? Você pode optar por colocar frases, como:

“ Participação em projetos de implementação de novas tecnologias em industriais”

Note como essa frase é boa, porém “fraca”. Ela não passa energia ou segurança.

Que tal tentarmos algo, como:

“Eu participei de diversos projetos de implementação de novas tecnologias de indústrias de médio porte, desenvolvendo resultados a cada novo projeto”

Você deve ter notado claramente a diferença entre uma frase (passiva) e a outra (ativa).

Utilize sempre a voz ativa, ela vai emponderar a sua experiência, sem aumentá-la ou distorcê-la da verdade!

Dica 3 – Menos sempre vai ser mais

Não adianta sair colocando todas as informações que você conseguir sobre a sua experiência profissional, inclusive aquela festa da faculdade a 4 anos atrás que você ajudou a organizar.

O RH tem um tempo curto e ele precisa tornar o processo de recrutamento e seleção o mas prático possível.

Por isso, cabe a você deixar o seu currículo direto, porém adequado à vaga.

Uma dica que sempre damos é quanto a utilização de palavras-chaves ao invés de frases ou expressões que não tem sentido.

Ao invés de escrever frases, como:

– Experiência profissional de 2015 a 2018 trabalhando na área de gestão de conteúdo para uma agência de marketing digital com 30 clientes em seu portfólio.

Que tal algo, como:

– 3 anos de experiência atuando com mais de 30 clientes na área de gestão de conteúdo para a agência “XYZ”.

Você falou exatamente a mesma coisa nas duas frases, a diferença é que a segunda demora 3 segundos para entender 100% tudo, enquanto a outra necessita de um pouco mais de atenção.

O uso de palavras-chaves também é importante porque torna o seu currículo fácil  de ser lido, ou até mesmo compreendido com um passagem de olhos rápida.

  • Experimente ler o anuncio completo e ver tudo que está sendo pedido ali.
  • Depois insira os anúncios da mesma forma no seu currículo (claro, se você tiver as habilidades perdidas).
  • No final, você terá um currículo que se irá se adequar mais a vaga e tomará metade do tempo da recrutadora. Isso pode ser um ponto super positivo na hora do recrutamento.

Dica 4 – Não jogue apenas informações, conte histórias

Na hora de falar sobre as suas habilidades técnicas dentro da sua experiência profissional, não saia jogando informações técnicas uma em cima da outra.

experiencia profissional e a comunicacao

Além de tornar o processo mais cansativo, dependendo da vaga, você pode deixar certas informações incompreensíveis para o recrutador.

Ao invés de falar:

“Consegui o resultado esperado na criação de campanha para geração de oportunidades de vendas com foco no aumento de 20% das vendas trimestrais na empresa, através da equipe comercial da região sudeste”

Que tal colocar algo, como:

“Usei minha capacidade de gestão para motivar a equipe de vendas a gerar resultados com um aumento de 20% trimestral. O resultado foi entregue dentro do prazo, através de um trabalho de equipe bem-realizado e motivado”

Note como na primeira opção você fala sobre termos de uma forma técnica. Na segunda opção, tudo fica mais simples e claro.

Na primeira frase você contou um fato com informações inúteis, na segunda você contou uma história que cativa quem lê.

Qual opção soa melhor para você conseguir uma vaga?

Dica 5 – Siga um padrão na hora de colocar as suas informações

Existem muitas variáveis na hora de falar sobre a sua experiência profissional. Por isso, criar um padrão pode ser interessante. Dessa forma todas as experiências seguirão a mesma linha de informações.

Dê uma olhada no checklist abaixo:

  1. Antes de descrever a sua experiência em si, coloque o nome da empresa com letras maiúsculas e na frente de todas as informações.
  2. Sempre coloque informações complementares, como a nacionalidade da empresa ou região que você está trabalhando. Isso pode ajudar a empresa como você se porta com outras filiais (nacionais ou internacionais).
  3. O segmento também é algo essencial. Dependendo da sua área, como é o caso de um contador por exemplo, você pode atuar em diversos segmentos específicos. Outro ponto também importante é o porte da empresa. Você pode optar por colocar o segmento, e em seguida o porte.
  4. Como informação padrão: as datas de início e término também precisam estar na sua área de experiência. Caso ainda esteja na empresa, apenas deixe escrito “até o momento”. Isso vai passar a mensagem.
  5. Descreva suas habilidades e experiências profissionais baseadas em nossas dicas
  6. Pronto, agora você tem um currículo que chamará a atenção de qualquer entrevistador.

E aí, aprendeu a utilizar a sua experiência profissional ao seu favor?

Com certeza agora você já sabe como utilizar esse tópico ao seu favor, e garantir uma visibilidade ainda maior na hora de mandar o seu currículo para uma vaga específica.

Dicas para montar um currículo ótimo? Aprenda agora como montar o currículo perfeito com esse post!

Existem até 50 perguntas que podem aparecer em uma entrevista de emprego! Conheça cada uma delas (e suas respostas) clicando aqui.

Caso tenha ficado com qualquer dúvida ou tenha sugestões sobre como melhorar a sua experiência profissional, deixe abaixo nos comentários.

Espero que tenhamos ajudado e até a próxima!

2019-01-08T21:12:10+00:00