fbpx

Autoconhecimento na Prática – Para Além dos Livros de Autoajuda

Feito com carinho por:

Cristiana Fernandes
6 de novembro de 2018

Era uma vez….

Seres humanos treinados por uma sociedade que só valorizava a inteligência intelectual, e não o autoconhecimento na prática.

Naturalmente, todo tipo de reflexão e qualquer tentativa de lidar com as próprias emoções eram considerados um desperdício de tempo; afinal de contas, o mundo tá corrido ali fora, as coisas acontecem lá, então o “olhar pra dentro”, conhecer a si mesmo, era visto de uma forma negativa pela maioria.

Acho que eu exagerei no “era uma vez”.

Afinal, isso rola até hoje.

Nem a Psicologia estava preparada para lidar com as chamadas “doenças modernas”, como a depressão e a ansiedade.

Quando esses seres humanos tinham problemas pra arranjar emprego, problemas amorosos ou o que quer que fosse, paravam um instante pra olhar pra dentro, e iam em busca de…. autoajuda. Nada contra, mas essa busca é mais imediatista.

Quando você fica sem emprego, você entra em desespero, acha que já tentou de todas as formas enfrentar essa situação, e como reflexo disso, dessa rapidez da nossa sociedade atual, você procura a autoajuda.

Nas palavras de Carl Jung: Quem olha para fora, sonha. Quem olha para dentro, desperta”

Esse tipo de de imediatismo, às vezes, é o que faz com que os nossos alunos se vejam perdidos entre vagas de estágio que não agregam valor para eles ou que simplesmente não tem compatibilidade.

Esse conceito que a autoajuda traz de que tudo será resolvido rápido dá uma falsa sensação na hora de procurar um estágio. Afinal, se você não consegue um rapidamente, a culpa deve ser sua, certo?

Errado.

A autoajuda entra na sua vida com a promessa de resolver todos os seus problemas de forma instantânea, padronizada e que não te deixa questionar sobre as raízes reais (que estão dentro de você), que estão causando essa situação em que você talvez se encontre (como a procura por um estágio, por exemplo).

É nisso que ela peca, pois se você não tiver plena consciência de quem você é, como conseguirá saber para qual tipo de mercado de trabalho quer ir?

O autoconhecimento é o caminho, e autoajuda é só um desvio que insiste em te fazer pegar atalhos que levam a lugar algum.

Mas, chega de falar de autoajuda, nosso foco é o querido e libertador autoconhecimento.

Esse sim pode levar mais tempo (uma vida inteira às vezes) para alcançar sua plenitude.

Depois de alcançado, porém, ele será seu pra sempre!  

Isso porque a partir do autoconhecimento, quando você se identificar por inteiro, passar a se questionar o porquê das coisas e por que elas acontecem com você, e, ao se apropriar do seu eu (eu sei, bem clichê, mas fundamental), você vai finalmente saber o que realmente importa na sua vida pessoal e profissional.

Você sabe quem é você? O autoconhecimento na prática da procura do estágio pode te ajudar

autoconhecimento na pratica introducao

Muitas vezes nos apegamos a certas situações que não nos causam nada além de dor e sofrimento, e só conseguimos enxergar e nos libertar disso quando nos tornamos conscientes do que está ao nosso redor. Ou seja, quando utilizamos a nossa consciência para por o autoconhecimento na pratica em nossas vidas.

Por exemplo: suponha que você está procurando um estágio há muito, muito tempo, e, justamente por não consegui-lo, começa a se sentir frustado com a vida, com o mercado de trabalho, com as pessoas e com as empresas que te chamaram.

Você começa a culpar a todos: RH, gestores e até mesmo a sua faculdade, que não te deu o background suficiente para te fazer passar nas vagas de estágio que queria.

Agora, será que é realmente assim, ou será que o autoconhecimento na prática poderia te salvar de uma situação dessas?

É bom ressaltarmos mais uma vez: o autoconhecimento é olhar pra gente com carinho e sem críticas e julgamentos a nós mesmos: é também identificar aquele lado que a gente não gosta, todos os nossos defeitos e reconhecer todo o bem e o todo o mal que fazem você ser simplesmente… você.

Esse reconhecimento é ESSENCIAL se você quer melhorar o seu lado profissional de verdade.

Sendo bem sincera, esqueça as formas mágicas de chegar até o sucesso. Claro que existem dicas e metodologias que são valiosas, porém o caminho sempre precisa se iniciar com o autoconhecimento na prática.

E é aí que mora o perigo da autoajuda.

Ela é válida, suas ferramentas são construtivas, mas nem de longe é todo o processo; afinal de contas, não há um caminho, ou como a autoajuda gosta de lançar mão, não existem as 10 práticas para ser bem-sucedido e ponto final.

Você que deve pegar esses ensinamentos que os livros trazem pra se descobrir e ver como, na prática, esses ensinamentos se moldam e se encaixam. Por isso, tudo que você precisar usar nessa trajetória (que, repito, é das mais longas), como a espiritualidade, os livros de autoajuda e terapias, são muito úteis, mas são só as ferramentas, e não a construção.

É isso que pode te levar mais longe na hora de um processo seletivo: você conhecer muito bem a pessoa que está sendo entrevistada.

Entendi tudo, mas como eu ponho o autoconhecimento na prática da minha vida profissional?

autoconhecimento na pratica para estágios imagem

Ok, ok. 

Você provavelmente já se ligou da importância do autoconhecimento, certo? Mas, ainda pode estar na dúvida sobre como colocá-lo para funcionar na prática.

Vou te dar um exemplo bem real e recente disso.

Eu estava tendo problemas com meu rendimento na faculdade e no trabalho. Olhei pra fora, certo? Fui atrás de um manual de instruções (vulgo livro de autoajuda), e me deparei com uma que tinha uma capa linda, brilhante, que me dizia que se eu acordasse uma hora mais cedo do que eu estava acostumada, eu encontraria a solução para todos os meus problemas — repito, todos os meus problemas!

Li até o final achando que conseguiria botar em prática todos aqueles ensinamentos padrões que não levavam em conta a minha individualidade e nem respeitavam minhas oito horas diárias de sono que eu durante anos entendi que era o mínimo que meu corpo precisava pra se sentir descansado. O que que aconteceu? Uma baita frustração.

Por isso que os livros de autoajuda são uma ferramenta, e não o caminho.

Eu não sou psicóloga, guru, não dou aula de meditação e nem de yoga, mas posso te fazer uma proposta, um convite ao início da sua busca pelo autoconhecimento. Primeiro de tudo…

Relembre a sua história!  

Entender-se é o primeiro passo para se autoconhecer 100%

autoconhecimento na pratica conclusao

Sim, autoconhecer-se é superimportante.

Por isso, parar alguns minutinhos do seu dia pra pensar nos fatos, pessoas e situações que marcaram sua trajetória até o dia de hoje é fundamental pra você conectar os pontos e ver até que pontos essas pessoas e situações influenciaram seu jeito de ser e de agir.

Vamos supor que você ficou com trauma de relacionamentos porque uma pessoa lá atrás te magoou e você achou que nunca mais seria capaz de amar. A partir disso, além de não se relacionar mais amorosamente, você passou a desconfiar das pessoas. De todas elas. E até hoje não sabia o porquê.

Ou, podemos pensar que você se sentiu mal na sua primeira experiência no mercado de trabalho, e agora tem medo de procurar um estágio e acontecer a mesma coisa de novo. É apenas mais um exemplo de um medo que é irracional e demonstra falta de autoconhecimento.

Use essa técnica pra pensar em todos os aspectos do passado que podem ter interferência no seu “eu” do presente, tomando consciência plena dessa jornada.

Feito isso, chega de passado. Ele serviu pra te dar insights sobre o que, afinal de contas, você é e deseja se tornar. Por isso…

Descubra aquilo que te move e também o que te faz andar pra trás.

Com esses pensamentos em mente, o que você pode e tem que fazer/ser pra deixar a marca que você quer no mundo?

Viu? Não é nada mirabolante dar o start no autoconhecimento.

Chegou a hora de potencializar seu aprendizado com esse texto e ir em busca das suas próprias formas de se autoconhecer; afinal de contas, já vimos que não existem fórmulas mágicas e, sendo bem clichê, o caminho é você quem faz.

Eu tô com você nessa… vamos?

Esteja preparado. Seja Know-How.

2019-01-06T09:25:57+00:00