Vencendo o medo de falar em público

Feito com carinho por:

Cristiana Fernandes
8 de março de 2019

Coração disparado, pernas bambas, secura na boca…  medo de falar em público tem nome. Se chama GLOSSOFOBIA. Você sabia que esse medo ultrapassa o MEDO DA MORTE? Ele existe e é tão poderoso porque mexe com a REJEIÇÃO. 

Antes de mais nada, reflita sobre essas 4 perguntas:

  • Você pensa mais em si mesmo do que no público?
  • Você imagina sempre o que pode dar errado?
  • Você não admite que nada dê errado?
  • Você tenta decorar cada frase da sua fala?

Acredita-se que mais de 75% das pessoas possuem alguma insegurança quando se deparam com uma situação na qual precisam falar na frente de um grupo de pessoas.

Esse medo no primeiro momento paralisa, e muitas pessoas tentam o seu melhor para evitar falar em público. Evitar pode proporcionar alívio imediato, mas é temporário e prejudicial. Para além de te afastar das suas tarefas e necessidades, irá reforçar ainda mais o comportamento de evitar situações desagradáveis, dado que quando evita falar em público os seus sintomas negativos diminuem, gerando um sentimento de bem-estar, mas aumentam o problema original (mais medo de falar em público).

Causas – De Onde Vem o Medo?

1)    Situações

Sabemos que existem pessoas que por natureza são mais ansiosas que outras, ainda mais nos tempos atuais onde temos pouca paciência para o demorado ou o que leva tempo, somos imediatistas. E além disso existem certas situações que provavelmente deixam grande parte de nós mais ansiosos, como:

  •      A falta de experiência: É natural, para qualquer situação da vida, no momento em que fazemos algo pela primeira vez nós cause uma certa insegurança. Assim como, do outro ponto de vista, quando fazemos algo repentinamente ganhamos confiança, logo quanto mais apresentações você fizer diante um público menos medo e insegurança você terá.
  •      Diferença hierárquica: Momento em que você se depara com a situação de direcionar o seu discurso para seus superiores é um fator que ocasiona um desconforto. Até mesmo no momento de faculdade quando chega o dia em que você precisa defender sua monografia. Por mais que você domine o assunto que passou o último ano escrevendo, chega na hora de apresentar para a banca de professores você trava e começa a gaguejar.
  •      Exposição de novas ideias: A apresentação de algo inusitado, você pode se intimidar com as reações das pessoas, ainda mais em situações quando o público possui a liberdade de questionar os seus argumentos.
  •      Novo público: Pode ser que você não tenha medo de falar na frente da sua turma de sala de aula ou em frente da sua equipe de trabalho, mas quando se depara com uma nova audiência acaba abalando seu psicológico e a insegurança aumenta.
  •      Língua estrangeira: Situações em que você precisa apresentar um tema em que não seja a sua língua nativa também é uma situação que pode te gerar um desconforto e consequentemente leva-lo ao desespero.

2)    Pensamentos

Hoje em dia se vende muita dificuldade para iniciantes de qualquer área, além da comunicação e oratória. Cria-se a dificuldade na cabeça dos jovens que para tudo que forem desenvolver ou criar em suas vidas, há a necessidade de aprender técnicas e teorias para agir. Em parte, isso é verdade, mas imagine que você está prestes a apresentar um pitch, por exemplo. Quantos de vocês já não ouviram falar de elevator pitch? Geralmente utilizado em rodadas de investimento onde o empreendedor busca investidores para apostar em seu negócio ou ideia. Os empreendedores possuem na ponta da língua o problema que o seu negócio pretende solucionar e sua proposta de valor, porém o mercado dificulta e impõem barreiras para esta apresentação. E o que no final das contas o próprio empreendedor não tem dificuldade de falar sobre o seu próprio negócio, mas na utilização da técnica.

Outro ponto que mexe com a cabeça, principalmente dos jovens, são as visões negativas de si mesmo quando se imaginam falando na frente de um grupo de pessoas ou até mesmo das lembranças das últimas apresentações, como: “não sei organizar meus pensamentos quando estou falando; não sei para quem olhar; fico mal quando as pessoas me olham com cara de negação…”. Nesse momento é importante que você tenha uma visão positiva e que a sua próxima tentativa você conseguirá melhorar sua apresentação em comparação a sua última.

3)    Fisiológicas

O nervosismo e a ansiedade impactam nosso sistema nervoso autônomo. Comumente ativado quando o nosso corpo entende que corremos perigo e começa a liberar adrenalina para que tenhamos respostas rápidas. Essa alta liberação de adrenalina geralmente nos leva a sensação de medo e consequentemente interfere na nossa performance de falar em público. Para pessoas que possuem alta sensibilidade à ansiedade, além de se preocupar com o objetivo do seu discurso, também sofrem com a preocupação de demonstrarem que estão ansiosas e causar uma sensação de amadorismos ou falta de conhecimento do tema que está apresentando.

. O ser humano tem uma técnica de sobrevivência desenvolvida desde a pré-história. Toda vez que o cérebro se depara com um problema, ele entende como sendo um risco, manda um recado para a espinha que por sua vez envia um estímulo nervoso para as glândulas supra-renais. Elas produzem adrenalina, jogam na corrente sanguínea e o nosso corpo se prepara para aquele momento. Nós temos duas possibilidades diante do perigo, só duas: ou nós encaramos o perigo, ou nós fugimos dele. Se naquele momento, naquele instante sua tendência é enfrentar o perigo, a descarga maior de adrenalina acontece nos membros superiores, para que as mãos e os braços ganhem agilidade, e literalmente para preparar o corpo para ENFRENTAR o perigo. Se você escolhe fugir do perigo, daqueles minutos de comunicação em público, o cérebro descarrega uma quantidade muito maior de adrenalina pros membros inferiores, para que os vasos sanguíneos das pernas se dilatem e literalmente CORRAM do perigo, e é por isso que um dos sintomas são as pernas trêmulas, esse excesso de adrenalina. O ESQUECIMENTO também é o excesso de adrenalina. A prática de exercícios de forma extenuante antes de falar em público, libera a ENDORFINA (um hormônio que te deixa relaxado e feliz), que é o oposto do hormônio liberado em situações de medo, que é a ADRENALINA.

Precisamos entender de uma vez por todas que a COMUNICAÇÃO não é O QUE SE FALA, mas o que O OUTRO ENTENDE.

Com isso em mente, muitos de vocês devem focar nas palavras usadas para que o outro entenda com clareza a informação que você quer passar, certo? Pois é… acontece que uma pesquisa feita pela Universidade da Califórnia mostrou que 7 por cento da nossa comunicação depende das palavras usadas. Vamos começar derrubando esse MITO de que QUANTO MAIS DIFÍCIL EU FALO, MAIS CREDIBILIDADE EU TENHO. QUANTO MAIS DIFICIL FALAMOS, MENOS O PÚBLICO COMPREENDE porque dessa maneira você desconecta o público, perde ele.

. A grande maioria dos palestrantes, de pessoas que tem o costume de falar em público são tímidas. Então já vamos começar quebrando esse tabu de que a timidez é algo relacionado à pessoas introvertidas. Existem milhões de pessoas extrovertidas que, quando se encontram em uma situação de falar para um grande número de pessoas ou para pessoas desconhecidas e importantes (como é o caso das entrevistas de emprego), esse medo aparece.

. Quando abordamos o tema “MEDO DE FALAR EM PÚBLICO”, é importante ter em mente que esse medo é IRRACIONAL, ou seja, não adianta tentar convencer racionalmente uma pessoa que tem medo de escuro com a seguinte frase: “não tem porque ter medo”.

TÉCNICAS ESTRATÉGICAS PARA ACABAR COM ESSE MEDO:

– IDENTIFICAR OS RESPONDENTES EMOCIONAIS:

Como o próprio nome diz, respondentes emocionais são as respostas às nossas emoções. Os respondentes emocionais mais comuns do medo de falar em público são:

. frio na barriga

.tremedeira

. ansiedade

.esquecimento

.tique-nervoso

.boca seca

.gagueja

.suor

Você precisa controlar as suas emoções. Se você focar nos seus respondentes emocionais você não vai encontrar a solução. Você precisa focar em controlar as emoções que causam esses respondentes.

2º – DOMINAR TÉCNICAS DE ORATÓRIA

Sozinhas, essas técnicas não resolvem o medo mas ajudam MUITO.

. Exercício da criação de um personagem

Serve para que o julgamento do público não abale seu psicológico (escolher alguém que você acha que estaria confortável naquela situação pode ser uma boa estratégia).

. Abuse da comunicação não verbal 

O gestual compõe 55% do que é absorvido pelo público, mais do que o que é falado, acredite se quiser. Procure fazer gestos entre a cintura e o queixo, para que não chame atenção demais nem de menos. Essa zona se chama ZONA DO PODER.

. Postura corporal 

Sua postura fala por si. Quadril equilibrado, sem apoiar o corpo em uma perna só, pés equilibrados, postura aberta. Pescoço na altura do olhar das pessoas.

. Olhar

É de extrema importância que você olhe para as pessoas. Infelizmente, de nada adianta focar naquele seu amigo que você já conhece. Você precisa olhar para o maior número de pessoas possível, porque o olhar conecta.

3º– AUTOCONHECIMENTO

Quando você conhece a sua psicologia humana, isso potencializa suas chances de fazer uma apresentação bacana. São suas emoções que disparam aqueles respondentes emocionais. Auto estima, auto imagem e autoconhecimento precisam ser trabalhados.

4º– CONTROLE EMOCIONAL

As suas emoções vazam, então você precisa saber controlá-las. Qual é o resultado que você quer? Passar confiança, transmitir bem o conhecimento e manter as pessoas conectadas, certo? Então você precisa controlar seus pensamentos, pensar quais são os pensamentos que estão te puxando pra baixo, te sabotando.

5º– SE ORGANIZE

A auto-organização é o primeiro passo para você relaxar e conseguir subir aos palcos com uma maior confiança em você mesmo. A sua organização vem não só dos materiais que tem para apresentar, mas também a organização das informações em sua mente. Uma maneira prática e fácil de organizar suas ideias é ter um guia como um power point. E mais uma dica, em relação ao seu power point, não escreva textos enormes, pois primeiro que você tenderá a ler todas as informações contidas nele e acaba que ninguém terá paciência de acompanhar. Por isso, opte por escrever somente os tópicos do que você pretende falar, eles servirão para te direcionar e não serem redundantes.

6º – PRATIQUE

Praticar o que você vai falar também é fundamental para você fazer uma grande apresentação. Todos os palestrantes que você admira na televisão ou no seu canal do Youtube, certamente levaram um tempo considerável até o vídeo ser postado, aquela pessoa trabalhou muito para performar tão bem. Uma informação de curiosidade para você ter em mente… conhece as famosas palestras do TEDX? Todos os palestrantes do Ted recebem um treinamento para apresentarem seu tema, e garanto a vocês que eles treinam muito para chegar àquele nível de excelência.

7º – ELIMINE O NERVOSISMO:

Todos nós sentimos aquele friozinho na barriga quando nos deparamos com uma situação de falar para um grupo de pessoas. Não há nada de anormal nesse sentido, porém um fator determinante do sucesso é como você lida com esse sentimento. Segundo Simon Sinek, autor do livro “Start with way” e palestrante motivacional, você precisa driblar a sua mente. Fazer com que ela entenda que esse friozinho na barriga, coração acelerado, boca seca e suor nas mãos não são sinais de nervosismo e sim de ansiedade. De acordo com o autor, esse pequeno detalhe na forma que pensamos ou comunicamos já são fatores capazes de mudar o modo operante do nosso cérebro.

8º– PRATIQUE MEDITAÇÃO:

A meditação é uma prática que vem tomando força frente ao ambiente organizacional, principalmente no envolvimento da alta gerencia. Os exercícios proporcionados pela prática da atividade cooperam para o desenvolvimento de habilidades respiratórias, assim como de concentração. Ao aprender os conceitos básicos da meditação você será capaz coordenar sua respiração. Com esse aprendizado você conseguirá, por meio do controle da respiração, abaixar os batimentos cardíacos e consequentemente a secura na boca.

9º FAÇA GRAVAÇÕES SUAS:

Pratique sua apresentação frente as câmeras. Pegue a câmera do seu telefone mesmo, posicione-a em cima da sua mesa e faça sua apresentação. Depois reveja sua apresentação e observe os pontos de melhoria. Muitos profissionais utilizam dessa técnica em busca de uma apresentação perfeita.

10º – FOCO NA TRANSMISSAO DO CONTEUDO E NÃO NA REAÇAO DO PÚBLICO

Essa observação vale para os que possuem ou adquirem o medo de falar em público pelo medo da reação negativa que as pessoas possam ter da sua apresentação. Esse comportamento é comum, mas temos maneiras de contornar essa situação. Em uma apresentação o seu objetivo é transmitir de forma clara a sua mensagem, adequando as características linguísticas de acordo com o público que irá recebe-la.

11º – EVITE FALAR RAPIDO DEMAIS

É natural falarmos mais rápido quando estamos falando em público, diferentemente de quando estamos conversando com os nossos amigos, por exemplo. Uma das consequências da ansiedade, lembra? E não do nervosismo. Falamos mais rápido com a intenção que de acabar logo e podermos voltar a nos sentar e esperar que outra pessoa venha a falar. Uma dica é falar de forma natural ou devagar. Desse jeito você terá um maior controle da sua respiração. Pois quando falamos de uma forma acelerada, não damos tempo a respiração, logo ficamos com a boca seca. ( PROCURE VARIAR OS TONS DE VOZ E A RAPIDEZ)

12º– VOCÊ SABE MAIS DO CONTEÚDO DO QUE O SEU PÚBLICO:

Já parou para imaginar que é natura que você detenha mais conhecimento sobre o conteúdo do que o público que irá te assistir. Você estudou, pesquisou, passou horas dos seus últimos dias se preparando para essa apresentação, logo isso já te coloca a frente em conhecimento do público que está prestes a te escutar. Então utilize dessa sabedoria a mais para te deixar mais confortável em discursar sobre o assunto.

13º – ESTUDE O SEU PÚBLICO

A primeira ação que você deve fazer antes de começar a preparar a sua apresentação é estudar o público que você se direcionando. Pois é a partir das características do seu público que você montará sua apresentação. Por exemplo, imagina que você fará uma apresentação para o departamento de comunicação da sua empresa e você é da área de finanças. Você precisará adequar o seu vocabulário para que todos possam compreender o que você está falando, ou seja, evitar o uso de termos técnicos do meio de finanças ou se usar descreva e explique o termo antes de continuar seu discurso.

É imprescindível conhecer as causas de qualquer medo que te aflige. Com o medo de falar em público não é diferente. Conhecendo as causas, fica muito mais fácil colocar em prática as técnicas para se ver livre dele, deixando pra trás mitos e crenças que por muito tempo te paralisavam e causavam uma sensação temporária e enganosa de alívio.

Agora você tem as armas pra enfrentar esse medo. Vamos juntos?

Me-Escolhe-RH-Curso-para-Processo-Seletivo-de-Emprego-Estágio-e-Trainee
Simule-a-sua-entrevista-de-emprego-com-o-Entrevista-Express
Correção-de-Currículo-Express-tenha-um-currículo-lindo-em-menos-de-24-horas