Gamificação

gamificação é o uso de elementos de jogo e técnicas de design de jogo em contextos não-jogo.

Por que utilizar essa técnica no processo de aprendizado? Bem… Quando nós jogamos, uma nova realidade é criado e deve ser aceita por todos os jogadores. Nessa realidade, as coisas deixam de funcionar como estamos acostumados, incluindo as pessoas. Somos diferentes e agimos de forma diferente quando nós estamos jogando.

Introduzir, portanto, a gamificação no processo de educação otimiza e maximiza o aprendizado, além de motivar e engajar o aluno na resolução de desafios.

Espectro Know-How

Imagine um jovem de catorze anos chamado Ruan. Ruan é apaixonado por teatro, e tem um talento singular nas artes cênicas. Poderia passar o dia inteiro assistindo e analisando filmes e a forma com que incorpora seus personagens prende, cativa e emociona a todos. Bem… todos com exceção de seus pais. Há um problema: Ruan não se dá bem nas Ciências Exatas. Matemática está longe de ser o seu forte, e as notas na escola estão despencando. Durante todo o Ensino Médio, é crucificado pelos pais, professores e amigos. “Assim você não vai ser ninguém na vida”, eles dizem. Ruan, desmotivado, acaba se frustrando por toda a sua trajetória escolar até, enfim, se conformar com um emprego mais ou menos e uma vida mais ou menos, por não acreditar que consiga — ou mereça — ir além disso.

Sim, talvez Ruan não conseguisse ser o próximo Einstein. Mas a Know-How quer olhar antes disso: talvez Ruan não quisesse ser o próximo Einstein. Ele na verdade poderia ser um próximo Marlon Brando, Heath Ledger, Charles Chaplin… Mas não deram essa chance a ele, porque não valorizaram seu talento.

Uma das bases da metodologia da Know-How é justamente valorizar esse tipo de talento ao qual não prestam atenção nas escolas. O espectro Know-How pretende desenvolver nos seus alunos nove tipos de inteligência, propostas por Gardner na década de 80, que são:

Os 9 tipos de inteligência

Metodologia de e-learning ativo

Storytelling

A primeira forma de transmitir conhecimento foi contar histórias. Desde a Idade da Pedra, passando pelos filósofos gregos e dramaturgos de todas as épocas até hoje, as histórias fazem parte do desenvolvimento humano. Nem todas as culturas do mundo são alfabetizadas, mas cada povo é único na forma como conta suas histórias.

É normalmente das histórias de que nos lembramos e é com elas que aprendemos. Quantas fábulas ouvimos quando crianças com morais da história fortes no final que ficam nas nossas cabeças? “A cigarra e a formiga”, “A lebre e a tartaruga”, “O lobo e o cordeiro”, etc., todas com fortes lições sobre convivência ou obstáculos. O storytelling é uma ferramenta poderosa para transmitir conhecimentos que levamos por nossa vida inteira.

A Know-How compreende o poder das histórias, e quer utilizá-las como aliadas em todos os seus cursos. Por meio de uma trama cativante, um enredo forte e personagens ricos, pretendemos prender a atenção dos nossos alunos durante todo o processo educativo e, com isso, transformar o aprendizado em uma experiência fluida e divertida.